• R. Adelaide Zangrande, 141
  • Jardinópolis, SP - Brasil

Perigo dentro de casa: cada imóvel têm em média 2,5 criadouros do mosquito transmissor da dengue

Sob controle. Mas nem tanto. Assim pode ser classificação a incidência de dengue na região Osasco. Nenhum dos 8 municípios dessa área está na lista de alerta ou risco de epidemia da doença. Mesmo assim, são 3,2 mil casos registrados desde janeiro. Além disso, eles fazem parte de um cenário comum em todo o Estado, que aponta que o perigo está, literalmente, dentro de caso.

Balanço inédito realizado pela Secretaria de Estado da Saúde, por meio do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) aponta que em média, 2,5 criadouros do mosquito transmissor da dengue e também da zika e chikungunya, são encontrados em cada residência do Estado de São Paulo.

Dentre os pontos com maior incidência estão sótãos e forros; objetos móveis, como vasos de plantas, garrafa pet e potes plásticos;  e também fixos, como calhas, lajes, piscinas; além de toldos, entulhos, sucatas e ainda pontos considerados naturais, como plantas, ocos de árvore e bambus, por exemplo. O levantamento sobre a incidência de larvas nos imóveis conta com dados de 624 municípios quanto ao LIRAa, que os divide em três grupos: com índice até 1 estão os que têm condições satisfatória de controle das doenças.

Entre 1 e 3,9, a situação é de alerta para surto. E acima de 3,9, de risco para surto. Todas as cidades da região estão na primeira faixa. Osasco teve o maior índice entre elas, de 0,94, enquanto Barueri tem o menor, de 0,15. Já em números absolutos, segundo dados da secretaria, quem lidera é Carapicuíba, com 2,3 mil registros.  Já em todo o Estado, até novembro, foram confirmados 390.654 casos de dengue, com 256 óbitos.

Houve ainda 72 casos de zika e 280 de chikungunya, sem óbitos de ambas as doenças. Dez cidades concentram 43,2% dos casos: São José do Rio Preto (32.822); Campinas (26.246); Bauru (26.088); Araraquara (23.876); São Paulo (16.617); Ribeirão Preto (13.748); Birigui (7.916); Araçatuba (7.782); Presidente Prudente (7.584) e Guarulhos (6.383).

Fonte: 
www.pragaseeventos.com.br/