• R. Adelaide Zangrande, 141
  • Jardinópolis, SP - Brasil

Biologia e comportamento dos Ratos

Descrição e biologia

Os ratos têm hábitos noturnos, expondo-se à luz do dia somente quando sua população aumenta muito e há insuficiência de alimento. Na falta de alimento, possui mecanismos que limitam a população: baixa da fertilidade e fecundidade das fêmeas, supressão de cios, canibalismo, dentre outros. O canibalismo é prática comum numa colônia de ratos, ocorrendo com o intuito de eliminar ratos doentes ou machucados ou mesmo filhotes de outras colônias. Assim, os ratos não admitem que outro penetre seu território, combatendo-o de forma feroz.

Seus órgãos sensoriais são bastante desenvolvidos, porém, enxergam mal, não percebem cores, apenas variações entre claro e escuro. São onívoros com preferência por alimentos gordurosos, consumindo por volta de 20 a 30 g/dia e bebem de 15 a 30 ml de água por dia. Além de ágeis, são ótimos nadadores, permanecendo bom tempo submerso. Geralmente, habita terrenos sujos e abandonados, redes de esgoto, margens de córregos, depósitos de lixo e afins, ou ainda tocas e buracos no solo.



Ciclo de vida

Pode variar conforme espécie. Atingem a maturidade sexual aos 3 meses e, geralmente, logo após o desmame, que ocorre aos 21 dias, já nasce outra ninhada.

 

Métodos de controle

 

A infestação de ratos pode ser verificada através de alguns sinais:
Presença: 
Avistar ratos significa uma considerável infestação, principalmente quando isso ocorre durante o dia, pelos ratos terem um hábito noturno, a presença de ratos durante o dia demonstra uma grande infestação.

Fezes: 
Um dos melhores indicadores de infestação, podem trazer também a identificação da espécie presente;

Trilhas: 
É um caminho bem batido, de 5 a 8cm de largura, encontradas normalmente perto de paredes e muros, atrás de materiais empilhados, sob tábuas.

Roeduras: 
Os ratos costumam roer (sem ingerir) materiais como madeira, cabos de fiação elétrica e embalagem de alimentos para gastar sua dentição e para chegar a alimentos.

Tocas: 
Encontradas junto ao solo, muros, paredes, e normalmente indica a infestação por ratazanas.

Os métodos de controle de ratos, ou desratização são extremamente difíceis por ser o rato um animal muito adaptável. Esta consiste em tirar um dos três elementos indispensáveis para a vida do animal, a água, o abrigo e a alimentação.

No caso de a água ser retirada, o animal irá mais longe para obtê-la, mas voltara a seu abrigo, se retirarmos o abrigo, ele fará um novo abrigo próximo ao atual, sobrando assim, somente a alimentação.

O uso de venenos deve ser feito por pessoas capacitadas, que conheçam o processo de manipulação e aplicação, uma vez que o uso indevido pode causar o aumento da população ao invés de exterminá-la.

Para que seja eficiente, deve-se conhecer o melhor possível a biologia do animal que desejamos eliminar, e então usar técnicas como as listadas abaixo:

Isca Granulada: 
Inseticida mais usado, o rato ingere e morre algum tempo depois por hemorragia interna.

Bloco extrusado: 
Ideal para uso externo (ralos, jardins, etc). Por possuir gosto extremamente amargo é de difícil ingestão para o homem, mas fatal para o rato, matando-o também por hemorragia interna.

Pó Químico: 
Mesmo os ratos vivendo em esgotos, eles são mamíferos muito limpos, e por isso estão constantemente se lambendo. Esse pó é colocado nas tocas, e caminhos onde os ratos passam, fazendo com que fique grudado no pelo, e quando o rato se lamber ingerirá o produto, o levando a morte também por hemorragia.

Iscas Cereais:
É um potente raticida em dose única, com odor altamente atrativo e ótima palatabilidade para os roedores, assim como os demais, leva a morte por hemorragia interna.

COMBATA COM A LINHA RATOKILL!